Seja bem vindo ao "Blog do Borjão"

segunda-feira, 19 de junho de 2017

RAPIDINHAS DO BLOG...

'PRÉVIA' DO PIB DO BC APONTA ALTA DE 0,28% EM ABRIL NA COMPARAÇÃO COM MARÇO
O Índice de Atividade Econômica medido pelo Banco Central (IBC-Br), que funciona como uma espécie de prévia do Produto Interno Bruto (PIB), registrou uma alta de 0,28% em abril diante do mês de março. A comparação já leva em conta as diferenças sazonais entre os períodos analisados. O IBC-BR é um indicador criado para tentar antecipar o resultado do PIB, que é a soma de todos os bens e serviços produzidos no país e serve para medir a evolução da economia. Na comparação com abril do ano passado, a alta foi de 0,51% com ajustes sazonais. Sem levar em conta os ajustes, foi observada uma queda de 1,75%. 

No mês de março, o IBC-Br havia caído 0,44% na comparação com fevereiro. De acordo com o Banco Central , no acumulado em 12 meses até abril, a prévia do PIB (indicador dessazonalizado) registrou contração de 2,66%. Sem o ajuste sazonal, a queda é de 2,75%. No ano, o índice aponta uma queda de 0,44% (dessazonalizado). No Twitter, o ministro da Fazenda, Henrique Meirelles, disse que o resultado do IBC-Br confirma as expectativas do governo e aponta para a recuperação econômica do país vai continuar no segundo trimestre. "Avanço de 0,28% do indicador de atividade econômica do BC em abril confirma nossas expectativas. Índice do BC mostra que recuperação da economia registrada no início do ano continua na abertura do 2º trimestre", escreveu o ministro. No primeiro trimestre de 2017, o PIB oficial, medido pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) apontou alta de 1% na comparação com o trimestre anterior, rompendo uma sequência de oito trimestres em queda. Tecnicamente, o resultado do primeiro trimestre significa que o país teria saído da recessão econômica. No entanto, economistas alertam que o resultado do trimestre iniciado em abril será decisivo, já que em maio, com as delações da JBS, o governo entrou em um período de instabilidade que pode afetar a economia.
IBC-Br x PIB
Embora o cálculo seja um pouco diferente, o IBC-Br foi criado para tentar ser um "antecedente" do PIB. O índice do BC incorpora estimativas para a agropecuária, a indústria e o setor de serviços, além dos impostos. Os resultados do IBC-Br, porém, nem sempre mostraram proximidade com os dados oficiais do PIB, divulgados pelo IBGE. O Banco Central já informou anteriormente que o IBC-Br não seria uma medida do PIB, mesmo que tenha sido criado para tentar antecipar o resultado, mas apenas "um indicador útil" para o BC e para o setor privado. Recentemente, o BC atualizou a metodologia de cálculo, incorporando novos indicadores, com destaque para a utilização da Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios Contínua (PNAD Contínua) em substituição à Pesquisa Mensal de Emprego (PME), além de outras mudanças.

NAVE NÃO TRIPULADA RUSSA PROGRESS ABASTECE A ESTAÇÃO ESPACIAL INTERNACIONAL
A nave não tripulada russa Progress MS-06, que transportava combustível, água e material científico, se acoplou na sexta-feira (16) com sucesso à Estação Espacial Internacional (ISS), informou a agência espacial russa Roskosmos. Instalada a bordo de um foguete Soyuz, a nave Progress decolou na quarta-feira da base de Baikonur, Cazaquistão, e nesta sexta-feira chegou à ISS no horário previsto, às 14h42 de Moscou (8h42 de Brasília). O cosmonauta russo Fiodor Iurchtchikin e os astronautas americanos Jack Fisher e Peggy Whitson são os três tripulantes atuais da ISS. A Rússia envia três ou quatro vezes ao ano naves tripuladas à estação internacional e, com a mesma frequência, naves de carga para abastecer os astronautas. Depois de cumprir a missão, as naves não tripuladas se desintegram na atmosfera, sobre o Oceano Pacífico. Os foguetes russos Soyuz são os únicos veículos de abastecimento da ISS, assim como de transporte da tripulação, desde que as naves americanas abandonaram as viagens para a ISS. Dezesseis países participam na ISS, financiada em grande parte por Rússia e Estados Unidos.
ACIDENTE
Na quinta-feira, 15, um homem morreu carbonizado em um incêndio provocado pela queda de uma parte do foguete espacial russo Soyuz 2.1a, usado para o lançamento da nave Progress no cosmódromo de Baikonur. A informação foi confirmado pelo comitê nacional de gestão de emergências do país asiático.

WIKILEAKS: CIA DESENVOLVEU SOFTWARE ESPIÃO PARA DEZENAS DE ROTEADORES
O Wikileaks liberou novos documentos na série "Vault 7" que detalham um programa da Agência Central de Inteligência dos Estados Unidos (CIA) para transformar roteadores Wi-Fi -- os equipamentos responsáveis por viabilizar o acesso à internet em redes domésticas e empresas -- em sistemas de espionagem. Chamado de "CherryBlossom", o programa consiste em um kit de ferramentas que cria um painel de controle para executar tarefas especificas pela CIA no equipamento. O "Vault 7" é uma série de vazamentos iniciada no dia 7 de março e que expõe documentos e programas da CIA. O Wikileaks afirma que essas informações já estavam fora do controle da CIA e que elas circulavam até entre "hackers governamentais" que não deviam ter acesso a esses documentos. Um desses hackers teria decidido repassar tudo ao Wikileaks. Não há confirmação da legitimidade dos documentos. Diferente do "Shadow Brokers", que vem vazando informações da Agência de Segurança Nacional dos Estados Unidos (NSA), o Wikileaks não disponibiliza as ferramentas de espionagem em si, apenas a documentação que detalha o funcionamento dos programas. Segundo esses documentos, o CherryBlossom é composto de quatro componentes: FlyTrap, CherryTree, CherryWeb e Mission. O FlyTrap é o software instalado no roteador. Ele é baseado no programa original do fabricante (o chamado "firmware"), mas possui as adições específicas da CIA. CherryTree é o servidor de controle ao qual o FlyTrap se conecta para receber comandos, que são as "Mission". CherryWeb é o nome do painel de controle usado pelos agentes para especificar as missões. Por meio do CherryWeb, um agente pode ordenar que o Flytrap monitore certos tipos de informação de computadores específicos que estiverem conectados ao roteador adulterado. Ele também pode criar uma "ponte" para se conectar à rede interna do roteador, mantendo um ponto de acesso da CIA em redes que normalmente estariam inacessíveis pela internet.
INSTALAÇÃO
Para instalar o Flytrap em um roteador, a CIA criou algumas ferramentas que exploram vulnerabilidades em equipamentos específicos. Em outros casos, o agente precisa manualmente acessar a interface do roteador e fazer upload do firmware. Em todos os casos, porém, a CIA se aproveita do fato de que os equipamentos não verificam ou não verificam corretamente a autenticidade do programa que devia ser fornecido apenas pelo fabricante. Segundo os documentos, a CIA teria criado versões do Flytrap para dezenas de roteadores de Wi-Fi desde 2006. Equipamentos de 21 marcas, entre as quais 3Com, Apple, D-Link, Asus, Linksys e Motorola estão na lista da CIA. (Dúvidas sobre segurança, hackers e vírus? Envie para g1seguranca@globomail.com)

Nenhum comentário: